Olá Visitante
Seja bem-vindo ao Portal SESI Educação
Mercúrio
Créditos: NASA/Johns Hopkins University Applied Physics Laboratory/Carnegie Institution of Washington
Descrição do planeta:
Estamos diante do menor e mais rápido planeta do nosso sistema solar. Ele também é o segundo mais denso, o primeiro é a Terra. Mercúrio não tem uma atmosfera, tem uma fina exosfera. O dia nele é superaquecido pelo sol e à noite as temperaturas são centenas de graus abaixo de zero.

Mercúrio leva 88 dias para orbitar o sol e é um dos planetas mais explorados do sistema solar. A cada século, Mercúrio aparece por 13 vezes e nesse evento chamado Trânsito, os observadores na Terra podem assistir Mercúrio passar através da face do sol. Esses trânsitos raros ocorrem em vários dias entre 8 de maio e 10 de novembro. Mercúrio tem uma ressonância de órbita de rotação girando três vezes para cada duas rotações em torno do sol. Um dia em Mercúrio dura cerca de 59 dias terrestres.

Mercúrio é composto de muitas crateras resultantes de colisões de meteoritos e cometas e como destaque tem duas grandes crateras que resultaram de impactos de asteroides, são elas: Caloris (1.550 km ou 990 milhas, em diâmetro) e a Rachmaninoff (306 km ou 190 milhas, em diâmetro). A Caloris é uma das maiores bacias de impacto do sistema solar. Mercúrio também possui grandes áreas de terreno liso com escarpas. Sua composição atmosférica contém Hélio, Sódio e Oxigênio.

No ano de 1991, os astrônomos na Terra fizeram estudos com o uso de radar e detectaram que Mercúrio pode ter gelo em seus polos norte e sul; mostraram em seus estudos que os materiais que foram identificados pelo radar estão presentes apenas em regiões de sombra permanente, por isso eles são frios o suficiente para preservar o gelo.

No ano de 2007, pesquisadores usaram radares terrestres, estudaram o núcleo e encontraram evidências de que ele está parcialmente fundido (líquido). O invólucro externo de Mercúrio (chamado manto e crosta) tem cerca de apenas 400 km de espessura.

As visitas das espaçonaves a Mercúrio na missão da NASA, a Mariner 10 e a MESSENGER, contribuíram para que fosse produzido um tesouro de imagens, dados de composição e descobertas científicas reveladoras de praticamente toda a superfície do planeta. Dessa forma, foi possível mostrar os impactos e o vulcanismo existentes no planeta. Foi cientificamente comprovado que Mercúrio tem uma abundância notavelmente alta dos elementos voláteis como enxofre e potássio, e que seu campo magnético está deslocado em relação ao equador do planeta, o que o faz sua estrutura interna incomum.
Dados gerais sobre o planeta:
Que lugar ocupa no Sistema Solar: está localizado entre o sol e o planeta Vênus
Diâmetro: 4.879 km (3.032 milhas)
Possui massa: 3,3011×1023 kg
Temperaturas: máxima: 427°C / mínima: -173°C
Período de rotação: 4.878 km
Distância média da Terra:91.700.000 Km
Informações recentes:
Momentos marcantes da exploração de Mercúrio:

• Em 16 de março de 1975, o Mariner10 da NASA fez seu terceiro e último voo de Mercúrio.

• Em 17 de março de 2011, MESSENGER da NASA tornou-se a primeira espaçonave a orbitar Mercúrio.

• O BepiColumbo da ESA, em testes agora, está programado para explorar Mercúrio em 2018. A nova missão se chama BepiColumbo e foi idealizada pela ESA. O nome da nova missão foi escolhido em homenagem ao cientista matemático e engenheiro Giusseppe (BEPI) Colombo. Ele desenvolveu a técnica de assistência gravitacional, fundamental à exploração espacial. A BepiColombo é composta por duas sondas. Os primeiros resultados da missão ainda demorarão muitos anos a chegar à Terra — mesmo que o lançamento seja realizado em 2018, a estação alcançará o planeta apenas em 2025.

• Os geólogos Kelsey Crane e Christian Klimczak da Universidade da Geórgia (EUA) avaliaram o ritmo de refrigeração de Mercúrio e disseram que ele está com os dias contados. Eles calcularam o ritmo de resfriamento e o tempo que Mercúrio levou para diminuir de tamanho. Os estudos foram publicados na revista Geophysical Research Letters. As informações da pesquisa referem-se às descobertas que a sonda MESSENGER encontrou na superfície de Mercúrio. Ela detectou numerosas dobras, sinuosidades e fraturas, concluindo a atividade tectônica do planeta, pelo menos no passado. Segundo os cientistas, essas características podem ter surgido devido ao arrefecimento de Mercúrio. As alterações de tamanho do planeta foram descobertas pela Estação Espacial Mariner 10. O que os geólogos queriam comprovar e somente agora conseguiram é estimar a velocidade e o período em que os processos acontecem. Eles acreditam que o planeta começou a diminuir após um ataque de meteoritos que terminou há 3,8 milhões de anos e durou 400 milhões de anos. As pesquisas afirmam que Mercúrio ainda está se modificando, mas sua atividade tectônica parou e seu campo magnético está enfraquecendo a cada dia.
Galeria de imagens
Fontes:
https://www.nasa.gov/
https://solarsystem.nasa.gov/galleries/hollows-on-mercury
http://www.suapesquisa.com/astronomia/planeta_mercurio.htm
Conheça outros astros
  • Mercúrio
    Mercúrio
  • Vênus
    Vênus
  • Terra
    Terra
  • Marte
    Marte
  • Jupiter
    Júpiter
  • Saturno
    Saturno
  • Urano
    Urano
  • Netuno
    Netuno
  • Lua
    Lua
  • Sol
    Sol

SESI - Departamento Nacional
SBN - Quadra 01 - Bloco C - Ed. Roberto Simonsen Brasília - DF - CEP 70040-903
Copyright © 2011 - 2021 - Todos os direitos reservados.